May 1, 2008

Teatro Guaíra inova utilizando blogs

A mais bela história de amor de todos os tempos

Divulgação por meio da internet foi o carro-chefe do sucesso do espetáculo Romeu e Julieta

Reportagem Lílian Wiczneski
Edição Amanda Audi

Alessandra Lange e Fábio Valladão são os bailarinos protagonistas da história
Alessandra Lange e Fábio Valladão são os bailarinos protagonistas da história

Três Parcas foram incluídas na montagem pelo coreógrafo Luiz Fernando Bongiovanni, e são responsáveis pelo curso da história
Três Parcas foram incluídas na montagem pelo coreógrafo Luiz Fernando Bongiovanni, e são responsáveis pelo curso da história

O auditório Bento Munhoz da Rocha Netto, conhecido como Guaírão, estava lotado. Na hora marcada, as luzes se apagaram, a música começou a tocar, as cortinas foram abertas e o que vimos foi, literalmente, um espetáculo de magia e beleza. Com coreografia de Luiz Fernando Bongiovanni, iluminação e cenários de Carlos Kur e Cleverson Cavalheiro, figurinos de Paulinho Maia e música de Prokofiev, a montagem da história de Romeu e Julieta pelo Balé Teatro Guaíra e Orquestra Sinfônica do Paraná encantou espectadores de todas as idades – e estreou no dia 23 de abril com o pé direito.

Ato 1: A história

O romance de William Shakespeare encantou gerações ao longo dos séculos. A rivalidade entre as famílias Montéquio e Capuleto faz da cidade de Verona o pano de fundo para a mais famosa – e linda – história de amor já contada. Os jovens Romeu e Julieta são inimigos por causa de suas famílias, mas se apaixonam, contrariando todos os tabus.

Na produção apresentada pelo Balé Teatro Guaíra, três personagens que não fazem parte da história original foram incluídas. As ‘Três Parcas’ vêm da mitologia grega, e são as responsáveis por todo o desenrolar do destino – Cloto representa o nascimento, Décima dá o curso da vida e Átropes corta o fio, simbolizando a morte. Elas estão presentes em todas as cenas e interagem com a história o tempo todo – são as ‘culpadas’ pelo desenrolar belo e trágico dos dois apaixonados.

Ato 2: O espetáculo

Inovação, montagem cuidadosa e ensaios até a exaustão: esses foram os elementos que garantiram que os dois atos, de aproximadamente uma hora cada, fossem apresentados beirando à perfeição. A professora e pedagoga Claudia Maria Gonçalves Franco foi com a expectativa de assistir a um espetáculo grandioso e foi atendida. “Não houve nenhum ponto negativo: foi simplesmente maravilhoso, em todos os sentidos”, declarou logo após o fim da encenação. “O cenário era simples, mas fez toda a diferença, pois permitiu o brilho dos bailarinos e dos efeitos”, afirmou.

Ato 3: A divulgação

A divulgação de Romeu e Julieta aconteceu de uma forma inusitada. Um blog, com todos os bastidores, fotos e vídeos dos ensaios e entrevistas com a organização do Balé foi inaugurado no dia 25 de março deste ano, um mês antes da estréia. O site surgiu da idéia da direção da Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra (ABABTG) de aproximar os espetáculos do público. “Queríamos quebrar todo aquele mito envolvendo o Guairão, mostrar todo o processo de produção e não apenas o resultado final” diz a editora do blog, Bia Lanza.

Carla Reinecke, a diretora do Balé, conta que a intenção é ter um blog com os bastidores de cada grande produção. “Começou ano passado, com a peça La Traviatta. Deu tão certo e a resposta do público foi tão positiva que decidimos fazer essa aproximação sempre”, explica. “O site do Teatro Guaíra é governamental, então tem um tom mais sério, mais profissional. Já no blog dos espetáculos, podemos publicar fotos e vídeos amadores, entrevistas e brincadeiras num tom mais leve”, explica Bia.

A editora também conta como surgiu a idéia de utilizar a ferramenta do ‘diário virtual’, ainda para a produção de La Traviatta: “Queríamos mostrar os bastidores, os ensaios, os erros, os atores e cantores da ópera sem figurino e sem maquiagem, mas não tínhamos espaço. Até que pensamos: ‘por que não um blog?’”. Ela explica que, no começo, não tinha noção de como essa página seria: as únicas exigências eram o uso de uma linguagem coloquial e que houvesse espaço para interatividade do público. Pois é, a experiência deu certo.

Além de bastidores, o blog apresenta promoções e várias versões baseadas na obra de Shakespeare. São links para a história com a Turma da Mônica, textos de Luis Fernando Veríssimo, fotos de encenações antigas – o blog se tornou um universo para os apaixonados pelo romance. E os acessos, tanto do pessoal envolvido com a produção como de todo o público (curitibano e até mesmo internacional) foram tantos que o próprio pessoal da direção se surpreendeu. “O trabalho de divulgação que fizemos por meio da internet foi muito bom, muitas pessoas se interessaram em assistir ao espetáculo depois de visitar a página”, revela a editora do blog.

Beleza e preocupação com o público. Definitivamente, é isso que vai ficar na memória daqueles que assistiram ou ainda vão assistir ao Balé. E, se você ainda não comprou o seu ingresso, é melhor correr: as sessões estão sempre cheias e só vão até o dia 04 de maio.

Fonte: Jornal Comunicação da UFPR