Sep 13, 2011

Experiência do Paraná em governo eletrônico foi apresentada na Holanda

O governo do Estado, através da Companhia de Informática do Paraná (Celepar), esteve representado na 10ª Conferência em Governo Eletrônico da IFIP (International Federation for Information Processing), em Delft, na Holanda. O evento reuniu especialistas de 29 países.
A experiência do Paraná foi apresentada pela analista de informática da Celepar, Beatriz Lanza, na Plenária Senaatszaal, principal auditório da Universidade de Tecnologia de Delft, local do evento. O artigo intitulado History of the Project of a Mobile Government – A Brazilian Case (em tradução livre, História do Projeto do Governo Móvel - Um caso brasileiro) teve como objeto de estudo a utilização, pelo governo do Estado, da telefonia celular na comunicação com o público, entre 2000 e 2010. O trabalho é resultado do Mestrado em Administração de Beatriz, concluído este ano.Na dissertação, a autora faz o resgate da história do m-Gov do Paraná “que oferece subsídios aos gestores de governo eletrônico, na medida em que mostra a importância dos relacionamentos na construção de projetos corporativos”. Beatriz defende a necessidade de projetos corporativos com políticas públicas, estratégias governamentais e debates acadêmicos voltados à utilização de telefone celular como meio de relacionamento e prestação de serviços entre governo e população.A título de exemplo recente no Paraná, o governo Beto Richa lançou o m-Gov, um portal de serviços para dispositivos eletrônicos móveis como smartphones, ipads e telefones celulares com acesso à internet. Esta solução foi desenvolvida em parceria entre a Celepar, Secretaria da Fazenda e Detran. O primeiro grupo de aplicativos do governo eletrônico à disposição do cidadão por meio de tecnologias móveis inclui serviços do Detran e as notícias do governo. O endereço do portal é m.pr.gov.br.Comitê O estudo de Beatriz Lanza, analista da Celepar que atua na coordenação do projeto de inclusão digital da Secretaria de Estado para Assuntos Estratégicos (SEAE), permitiu que o Paraná integrasse o Working Group 8.5 on Information Systems in the Public Sector (Sistemas de Informação na Administração Pública), comitê permanente e organizador deste evento, cujo objetivo é melhorar a qualidade dos sistemas de informação na administração pública local, regional, nacional e internacional.Segundo ela, o WG 8.5 também realiza pesquisas em sistemas de informação desta área, conferências e publicações de livros sobre o tema. Após ser convidado e aceito pelos membros do comitê, o Paraná, representado por Beatriz Lanza, pôde integrar este grupo criado em 1987 que contém representantes de vários países do mundo.Experiência De acordo com a analista da Celepar, os trabalhos selecionados para o congresso passaram por uma rigorosa avaliação de especialistas em e-Gov. “Não esperava ter meu artigo selecionado. Aliás, a intenção era receber as críticas e sugestões dos revisores para então reformular o trabalho e deixá-lo em qualidade internacional. Foi uma agradável surpresa”.A experiência vivenciada por Beatriz durante a semana que passou na Holanda representando o Paraná certamente será lembrada por muito tempo. “A comunidade científica de todo o mundo estava lá discutindo sobre governo eletrônico. Foi ótimo conhecer estas pessoas, trocar conhecimentos, ideias e, claro, me senti orgulhosa em poder representar o Sul do país. Afinal, era a única brasileira dessa região”.Além dela, outros cinco pesquisadores brasileiros estiveram presentes no congresso, assim como estudiosos de países como: Noruega, Irlanda, Itália, Suécia, Inglaterra, Bélgica, Portugal, Áustria, França, Estados Unidos, México, Uruguai, Alemanha, Eslovênia, Japão, Canadá, Suíça, Dinamarca, China, Grécia, Austrália, Espanha, Chile, Filipinas, Nova Zelândia, Africa do Sul, Finlândia e a própria Holanda.Também integrou o evento a I Conferência em e-Participação (participação eletrônica), na qual foram apresentados trabalhos e projetos sobre o uso de tecnologias em governo e e-democracia, aplicações de governo eletrônico voltadas para a participação do cidadão e promoção da cidadania. Conforme Beatriz Lanza, além das apresentações técnicas, autoridades da Comunidade Européia e de ministérios do Governo da Holanda foram convidadas para relatar suas experiências em governo