Jun 5, 2012

Pesquisa TIC Domicílios 2011 mostra que a maior evolução foi no uso de telefones celulares, que se universalizam entre a população.

A quantidade de domicílios brasileiros com computador aumentou dez pontos percentuais, de 2010 para 2011, contra um crescimento de 3% de 2009 para 2010. As conexões à internet subiram um pouco mais: 11%, de 2010 para 2011, também contra 3% do período anterior. Um salto bastante expressivo, sem dúvida. Mas ainda insuficiente, se considerarmos que, mesmo com esse avanço, 55% das residências ainda não tinham computador. E 62% não tinham acesso à internet. A sexta economia do planeta aparece em 81º lugar - após cair três posições, em 2011 - no ranking mundial de usuários de internet. 


Esses dados constam da TIC Domicílios 2011, produzida pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto Br (NIC.br), por meio do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br). A pesquisa tem como base 25 mil domicílios de 317 cidades, em áreas urbanas e rurais. Entre as principais conclusões apontadas, o país começou a registrar, de 2010 para 2011, um movimento de inversão nos tipos de conexão. Pela primeira vez, o acesso em banda larga (conexões com velocidades a partir de 256 kbps, de acordo com a União Internacional de Comunicações) ultrapassou o acesso discado. Enquanto a banda larga fixa permaneceu estável em 2011, como principal forma de acesso à internet (em 68% dos domicílios), a banda larga móvel (com modem 3G) cresceu 8 pontos percentuais (18%). O acesso discado se manteve em 10% das casas.

Outra mudança tecnológica importante: os computadores portáteis (notebooks) dispararam 16 pontos percentuais (estão presentes em 39% dos domicílios), enquanto os de mesa caíram 9 pontos percentuais (presentes em 79%). Na classe C, a proporção de portáteis praticamente dobrou em relação a 2010 - há pelo menos um notebook em 28% dos domicílios, nessa classe.

Mas a maior evolução foi no uso de telefones celulares, que se universalizam entre a população - 76% têm celular e 82% utilizam celular. O acesso à internet via telefone cresceu 12 pontos percentuais, de 2010 para 2011, chegando a 17% de usuários. A quantidade de usuários com planos pré-pagos que acessa a internet pelo celular cresceu 13 pontos percentuais, enquanto no pós-pago o crescimento foi de 3 pontos percentuais. Esse aumento é claramente um reflexo da expansão dos planos populares de acesso à internet por dispositivos móveis. “Fica comprovado que o que limita o acesso à internet pelo celular é o preço. Se os preços forem mais competitivos, o acesso vai disparar”, avalia Juliano Cappi, do NIC.br.