Dec 2, 2012

EUA querem serviços públicos no celular

Governo norte-americano quer que agências e ministérios desenvolvam aplicativos móveis


O governo norte-americano vai investir na disponibilização de dados e serviços públicos para telefones celulares. A decisão foi tomada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, na quarta-feira, 23 de maio, e pretende “oferecer serviços a custos mais baixos, diminuir o tempo de entrega e melhorar a experiência do consumidor”.
Segundo memorando presidencial, todos os órgãos públicos deverão ter ao menos dois serviços disponíveis para celulares em até 12 meses. “Os americanos merecem um governo que trabalhe por eles toda hora, em qualquer lugar e em qualquer dispositivo”, resumiu Obama.
Para atingir o objetivo, o governo norte-americano lançou uma estratégia para os próximos meses voltada à adaptação do conteúdo hoje disponível em websites para celulares. De acordo com o projeto, todos os dados e aplicativos deverão ser elaborados e oferecidos de forma aberta para que seja possível a criação de iniciativas independentes utilizando informações públicas.
A ideia é também padronizar os conteúdos, pois algumas agências tomaram a frente e já oferecem aplicativos para celulares, enquanto outras ainda estão terminando sua adaptação à internet.
“Estamos em um tempo realmente interessante. Hoje praticamente todo mundo carrega um dispositivo inteligente em seus bolsos, com incrível poder de computação. Esses dispositivos estão criando uma dinâmica tanto dentro dos muros do governo quanto fora, com os cidadãos demandando mais”, afirmou Steven VanRoeke, chefe de informações do governo norte-americano, na cerimônia de lançamento da iniciativa.

Modernização
A criação de serviços que possam ser acessados pelos cidadãos por meio de seus celulares faz parte de uma estratégia maior da administração Obama. O documento que estabelece parâmetros para os dispositivos móveis também insta os funcionários públicos a criar páginas e conteúdos como se estivessem em uma grande empresa de comunicação. Assim, devem coletar métricas de acesso e satisfação e tornar os serviços mais simples e atrativos para os usuários. “Temos que lembrar que nosso consumidor é o cidadão americano”, escreveu o presidente.
Outro ponto da estratégia é a criação de um Centro de Inovação de Serviços Digitais. A nova agência será responsável por identificar oportunidades de investimento e criação de aplicativos, além de funcionar como um centro de estudos sobre a relação entre o governo e as tecnologias de informação e comunicação.

Data: 23 de maio de 2012